Notícias

Secretaria de Saúde reforça importância da vacinação contra febre amarela

28/01/2020

A Secretaria Municipal de Saúde recebeu alerta da Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) sobre a presença de macacos mortos em uma localidade no interior do município. No local, a equipe da Vigilância Sanitária encontrou sete macacos em óbito, que foram recolhidos e levados para análise na UFPR (Universidade Federal do Paraná).

 

A febre amarela silvestre é uma doença infecciosa febril aguda causada pelo vírus da febre amarela. Ela é transmitida por mosquitos do gênero Haemagogos a pessoas não vacinadas que entram em áreas rurais, matas, rios, parques, reservas ou localidades que já tenham casos confirmados da doença. A forma urbana da doença é quando ocorre transmissão pelo mosquito Aedes aegypti. Os macacos não são transmissores da febre amarela, mas geralmente são os primeiros atingidos quando há presença do vírus, indicando que a região precisa de atenção redobrada. “O Estado monitora os macacos e sempre que é notificado sobre a morte de alguma espécie são coletadas amostras para que seja identificado se na região há circulação do vírus”, alertou o enfermeiro do departamento de epidemiologia da 5ª Regional, Tiago Kanarek Santos.

 

Ainda aguardando o resultado das análises, a Secretaria Municipal de Saúde reforça o chamado para vacinação. “Neste ano, há reforço da vacina para crianças de até 5 anos de idade. Para pessoas com mais de 5 anos, a dose da vacina é única. Quem nunca tomou, deve procurar um posto de saúde e realizar a prevenção”, finalizou Tiago.

 

No município, todas as UBS (Unidades Básicas de Saúde) estão disponibilizando a vacina para a faixa etária entre 9 meses e 59 anos, com exceção da unidade do Feroz. Para se imunizar é necessário apresentar a carteira de vacinação, cartão do SUS e um documento com foto. As unidades de Pronto Atendimento do Batel, Primavera, e Trianon não realizam a vacina. Após a leitura da caderneta, será verificada a necessidade de aplicação da dose.