Notícias

Secretaria de Saúde promove ações contra a febre amarela e o mosquito transmissor da dengue

03/04/2019

Nesta sexta-feira e sábado (05 e 06), a Vigilância Sanitária e o Departamento de Epidemiologia, da Secretaria de Saúde de Guarapuava,  promovem duas importantes ações. O Dia D de vacinação contra a febre amarela e o Dia D de enfrentamento ao aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue e outras arboviroses.

No Dia D de vacinação contra a febre amarela, o Departamento de Epidemiologia vai reforçar o calendário de vacinação mantido nas Unidades Básicas de Saúde. “No próximo sábado (06), todas as UBS [Unidades Básicas de Saúde] vão estar abertas para a imunização. Essa prevenção é importante, pois a Secretaria de Estado da Saúde confirmou o quarto caso de febre amarela no Paraná. A pessoa infectada é de Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, porém estamos intensificando as ações no município”, afirmou a chefe de Departamento de Epidemiologia, Chayane Andrade

É preciso apresentar a carteira de vacinação e, caso não tenha, um documento com foto. “Quem já tomou a vacina uma vez na vida está protegido da doença”, reforçou Chayane. A vacina é recomendada a partir de 9 meses até 59 anos. Pessoas com mais de 60 anos precisam de liberação médica.

Já a ação contra o mosquito transmissor da dengue será em dois dias. Na sexta, as equipes estarão em toda área central de Guarapuava. No sábado, a base das equipes será as UBS, com a ação em todos os bairros e distritos. “As equipes vão orientar e fazer vistorias nas residências e estabelecimentos comerciais, para identificação e remoção de focos do aedes aegypti”, informou o diretor da Vigilância Sanitária e Ambiental de Guarapuava, Rodrigo Córdova, destacando que a ação será desenvolvida pelos agentes comunitários de saúde, agentes de combate à endemias, servidores municipais e voluntários do 26º GAC, escoteiros, universidades, associações de bairros, conselhos locais de saúde, Polícia Militar e 5ª Regional de Saúde.

“Essa ação se faz necessária devido aos altos índices apresentados no Paraná e no Brasil de infestação do mosquito, com risco iminente da contaminação pelas doenças, como febre amarela, dengue, zica vírus e chicungunya. Estamos nos adiantando na prevenção e conscientização dos moradores sobe a importância do combate a este vetor e a responsabilização de todos neste enfrentamento”, finalizou Rodrigo Córdova.

 

Foto: arquivo Secom