Notícias

Parceria entre Prefeitura de Guarapuava e Unicentro promove reabilitação respiratória de pacientes recuperados da Covid-19

24/06/2020

Dificuldade para respirar, fadiga na realização de atividades diárias e a perda global da força. Esses são alguns dos problemas de saúde que podem ser apresentados por pacientes já recuperados da Covid-19, isso porque a doença afeta os pulmões e, em algumas situações, causa alteração no sistema muscular prejudicando também a qualidade de vida. Em Guarapuava, os pacientes que tiveram a doença são acompanhados e, caso necessitem, recebem auxílio para reabilitar a capacidade respiratória. O atendimento é feito graças a parceria entre a Prefeitura Municipal e a Clínica Escola de Fisioterapia (CEFISIO) da Unicentro, com apoio da Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (SETI).

 

A reabilitação pulmonar é um programa de exercícios respiratórios e físicos para pessoas com alterações respiratórias que visam melhorar a condição respiratória, a capacidade física, impactando na melhora da qualidade de vida e na realização das atividades de vida diária, diminuindo o cansaço físico e a falta de ar, explica a coordenadora do projeto e professora do curso de Fisioterapia da Unicentro, Christiane Riedi Daniel.

 

O projeto chamado Avaliação, Reabilitação Pulmonar e Acompanhamento de Indivíduos Acometidos pelo Covid-19 Pós-alta hospitalar – Tratamento e Acompanhamento Clínico teve início na primeira semana de junho. Os moradores da cidade com diagnóstico da doença confirmado foram contatados via telefone. “Entramos em contato para investigação dos sintomas e da sua funcionalidade. As ligações são feitas a cada 48 horas até o final da fase de isolamento. Assim, traçamos o perfil dos pacientes e, neste momento, está sendo feita a avaliação presencial dos que são considerados curados”, complementa Christiane.

 

 

O convite para avaliação presencial é feito depois que a pessoa é considerada curada e a participação do paciente no projeto é voluntária e sigilosa. Até o momento, 32 pessoas que testaram positivo foram acompanhadas por telefone. Na última semana, foram avaliados 7 pacientes, destes, 2 têm indicação de reabilitação pulmonar para melhora da condição funcional, respiratória e força.

 

Eu tenho muito cansaço e dor nas pernas. Então agora estou fazendo fisioterapia, vou ver se venho todas as sessões certinho pra eu poder trabalhar, eu preciso pra sustentar minha família, não está sendo fácil, afirma um dos pacientes atendidos pelo projeto.

 

As sessões de fisioterapia são realizadas duas vezes por semana. Já o protocolo completo de reabilitação deve durar 8 semanas e, após isso, a condição clínica é reavaliada.  “Na avaliação presencial investigamos a função e a força respiratória, a capacidade física, a falta de ar e a fadiga, além de questionários sobre as atividades de vida diária. Na reabilitação são realizados exercícios específicos para função respiratória, exercícios para melhora do condicionamento físico e força muscular”, finaliza a coordenadora do projeto.

 

 

Os equipamentos de espirometria e bioimpedância, além dos exercitadores respiratórios usados no projeto foram adquiridos com apoio financeiro da SETI e são fundamentais para o tratamento. “É bom pra eu começar a me recuperar, vou ver se não falto e venho certinho! Estou muito melhor graças a Deus! E se Deus quiser, eu quero ficar bom, se Ele me deu uma segunda chance de vida, eu quero ser um ser humano melhor e seguir certo as coisas da vida”, disse o paciente entrevistado.