Notícias

Novo decreto municipal leva em conta a questão da saúde, social e econômica de Guarapuava

29/03/2021

Em live pelas redes sociais nesta segunda-feira (29), o Prefeito de Guarapuava, Celso Góes, anunciou novo decreto nº 8610/2021, para conter o avanço da Covid-19 na cidade. Trata-se de um decreto específico, concebido para a Semana Santa, que passa a valer a partir de hoje, com reaberturas e fechamentos até o domingo de Páscoa, dia 5 de abril.

 

Nós estudamos e avaliamos os nossos dados epidemiológicos e sociais e eles são preocupantes. A taxa de lotação dos nossos hospitais está muito alta. Outra preocupação é com o aumento no número de guarapuavanos que passaram a viver na miséria. Precisamos ter uma avaliação equilibrada entre a saúde, econômica e a questão social. Foi baseado nestas novas informações, neste novo cenário, que adotamos estas novas medidas “, destacou o prefeito de Guarapuava, Celso Góes.

 

De hoje até quinta-feira, primeiro de abril, será permitido estender o horário do comércio das 8h às 20h. No sábado haverá restrição de 30% da capacidade de lotação. Na sexta-feira (2), haverá fechamento de todo o comércio, inclusive supermercados, sendo permitido apenas a abertura de serviços essenciais como postos de saúde, farmácias e postos de combustíveis (apenas para abastecimento).

 

O decreto continua valendo para o toque de recolher, das 20h às 5h da manhã e fiscaliza com rigor a circulação de pessoas nos parques, vias, e espaços públicos, assim como, proíbe festas ou qualquer tipo de aglomeração de hoje a domingo.

 

O serviço do transporte público coletivo  terá serviço normal de hoje (29) a quinta feira (1), sendo interrompido na sexta-feira e no domingo. No sábado será normal. Para sexta-feira, o serviço delivery estará permitido apenas para entregas de gás e serviço de farmácia, podendo trabalhar livremente no domingo. No sábado, será permitida a reabertura do comércio, das 8h às 20h e no domingo novo fechamento total, inclusive supermercados, sendo  permitido apenas o funcionamento dos serviços essenciais.