Notícias

Mercado Produtos da Terra completa um ano de sucesso em Guarapuava

18/12/2020

Nesta sexta-feira (18), o Mercado Produtos da Terra completa um ano de comercio solidário em Guarapuava. Inaugurado em 18 de dezembro de 2019, o mercado conta hoje com cerca de 40 participantes com produtos diversificados desde comida (pães, bolos, bolachas, massas, etc.) ao artesanato (chinelos, panos de prato e artigos de decoração, por exemplo). Uma das clientes, Edneia Massinhan Leal, afirma que vai ao Mercado toda a semana.

 

Eu conheci o “Produtos da Terra” a partir das fotos nas redes sociais que mostram um pouco de como são as comidas e produtos que estão à venda. Então me tornei uma cliente assídua. Às vezes eu preciso de um presentinho, como o artesanato, aí eu venho comprar, mas semanalmente sempre compro os bolos!, explicou Ednéia.

 

Para a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Priscila Schran o mercado é uma experiência de aprendizado e aperfeiçoamento social. “O Produtos da Terra veio para aproximar nossos empreendedores e mostrar como todos têm muitos talentos e que, em unidade, serão cada vez mais fortes. Aqui eles tem uma oportunidade de desenvolver as pessoas com o sentido de comunidade e gerar um compromisso com o outro. É nisso que acreditamos. Assim, todos saem ganhando, crescendo enquanto pessoas e empreendedores”, enfatizou a secretária.

 

Os empreendedores solidários se dividem em escalas de atendimento durante a semana/Foto: Secom

 

De acordo com a coordenadora do Programa Economia Solidária, Vandeca Chizini de Fonseca, desde a inauguração até o mês de novembro deste ano, mesmo com a pandemia, as vendas proporcionaram uma receita de mais de R$ 90 mil reais, mostrando, dessa forma, como o trabalho em conjunto dos empreendedores solidários gerou resultados, não só para a economia guarapuavana, mas também na vida de cada um dos participantes do programa com um reforço no orçamento doméstico. As pessoas envolvidas são chamadas de Empreendedores Solidários porque praticam diariamente a autogestão na rotina de trabalho, pois se dispõem a trabalhar em escalas semanais pensando na coletividade.

 

Eles se dividem em escalas semanais para o atendimento, organização e gestão do empreendimento, colocando em prática o principio da solidariedade ao oferecer e vender os produtos uns dos outros. É a pratica do ‘um por todos e todos por um’, assim todos os envolvidos prosperam, e isso gera renda aos empreendedores e suas famílias, além de refletir no aumento dos índices da economia local., explicou Vandeca.

 

Os produtos são variados, vão desde as bolachas e bolos até as plantas e artesanatos/Foto: Secom

 

A Economia Solidária é um programa baseado em princípios específicos, tais como: autogestão, cooperação, solidariedade, sustentabilidade, preço justo e viabilidade econômica. O grupo é formado por trabalhadores informais ou autônomos, ou seja, pequenos produtores rurais e urbanos da agroindústria familiar  e artesãos de Guarapuava. Para o produtor de conservas, Fernando Silvério Fernandes, a oportunidade de fazer o curso e trabalhar no mercado de economia solidária foi e está sendo uma ótima experiência,

 

Eu fiz o curso e gostei muito, me apaixonei. Agora estou cada vez aprendendo mais na área, cada dia tenho uma experiência nova aqui. Comecei a produção de conservas há pouco mais de um ano e, para o futuro, a expectativa é fabricar geleias e molhos, além de fornecer os produtos embalados a vácuo, prontos para o consumo do cliente. A minha intenção é trabalhar apenas em lugares como este. Aqui o lema é diferente, aqui você tem que ajudar o próximo, tem que colaborar com o outro!, declarou.

 

As conservas, produzidas por Fernando, fazem parte dos alimentos vendidos no Produtos da Terra/Foto: Secom

 

Muitos empreendedores já trabalhavam como autônomos antes de ingressarem no mercado, mas demonstraram interesse em expandir as vendas e lucros participando da Formação de Economia Solidária, requisito básico para a inserção no programa oferecido pela Prefeitura Municipal de Guarapuava, através de parcerias entre Secretaria de Políticas Publicas para as Mulheres e Secretaria de Agricultura. De acordo com a empreendedora solidária, Margarida Luczinski, o mercado é mais uma ótima oportunidade de trabalho.

É uma fonte de renda, um local de trabalho para a gente. No meu caso, eu comecei desde o início com venda de bolachas caseiras e massas, e sempre tem saída, contou Margarida.

 

Fernando Silvério Fernandes e Margarida Luczinski são dois dos empreendedores solidários participantes do programa/Foto: Secom

 

Pandemia

O mercado permaneceu fechado por alguns meses desde o inicio da pandemia da Covid-19. No retorno, a equipe de empreendedores foi reduzida para proteger os grupos de risco e a saúde de todos. Atualmente o atendimento segue as normas de proteção contra o Novo Coronavírus, pensando na proteção de empreendedores e clientes.

 

O mercado oferece diversos produtos aos seus clientes, entre eles, as massas que Margarida prepara /Foto: Secom

 

Formação

Com duração de um dia, das 8h da manhã às 18h da tarde, a formação objetiva qualificar os futuros empreendedores para ingressar no Mercado Produtos da Terra. Assim, os novos empreendedores estarão aptos a participar do projeto, exercendo seus trabalhos de forma solidária e coletiva. Em 2019, foram realizadas duas etapas nos meses de julho e setembro com  50 empreendedores. A terceira e quarta formações aconteceram em marco de 2020. “Na sequência, todos os novos empreendedores participam de 5 oficinas oferecidas pela UniGuairaca, numa parceira do projeto onde aprendem sobre precificação de produtos, marketing, vendas, custo e gestão. A partir das formações concluídas todos se tornam aptos a participar, com igualdade de direitos, do programa.”, explica Vandeca.

 

Coordenadora do Programa Economia Solidária, Vandeca Chizini de Fonseca – Foto: Arquivo/Secom

 

Programa

O Mercado Produtos da Terra é o primeiro Empreendimento de Economia Solidaria de Guarapuava, localizado anexo a Rodoviária Municipal de Guarapuava, na Avenida Sebastião de Camargo Ribas, bairro Bonsucesso. A iniciativa surgiu a partir de uma visita da equipe da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres à cidade de Apucarana-PR, município que investe com sucesso no programa de Economia Solidaria com ótimos resultados e conta hoje com vários Empreendimentos neste formato e já consolidados.

 

Com a Lei nº. 2022/2012, de Política Municipal de Fomento à Economia Solidária de Guarapuava, alterada em fevereiro de 2019, a economia solidária no município ganhou impulso e estímulo para a criação de ações que contribuem na geração de renda de produtores rurais e urbanos. Por meio desta lei, os trabalhadores podem se organizar de maneira coletiva, propiciando um consumo solidário dos produtos oferecidos. A pratica da sustentabilidade faz parte de todos processo com uso correto dos materiais de consumo utilizados e a viabilidade econômica na valorização do trabalho e com preços acessíveis e justos aos clientes. O mercado hoje movimenta a economia local com valores consideráveis para a realidade deste novo segmento.