Notícias

Equipe da Secretaria de Educação e Cultura confecciona cerca de 2 mil máscaras

23/04/2020

As boas iniciativas seguem fortalecendo as ações de enfrentamento à Covid-19 em Guarapuava. Dessa vez, a colaboração veio da Secretaria de Educação, através da Casa da Cultura, que reuniu a equipe de funcionários para confeccionar máscaras para servidores públicos. O intuito é beneficiar quem trabalha diretamente com o público neste momento de pandemia.

 

“Nossa ideia nasceu com os decretos que pediam o distanciamento social e a obrigatoriedade do uso de máscaras, aumentando a procura nas lojas que vendiam esse produto. Sem máscaras para todos, começamos a fazer para suprir a demanda”, contou a diretora da Casa da Cultura, Rosevera Bernadim. “Não temos costureira profissional, trabalhamos com cinco máquinas de costura e nos ajudamos com materiais que já tínhamos. Um desenha, outro corta, fomos aprendendo”, acrescentou.

 

(Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

 

Atrás das máquinas de costura estão professoras, educadoras infantis e outros servidoras da Secretaria que se propuseram a contribuir na prevenção. É o caso da Lucijane Lima que é contadora de histórias na Casa da Cultura. “Fizemos um mutirão e estamos contribuindo com aqueles que precisam. Estou fazendo algo novo em que vejo as pessoas usando na rua o que ajudo a produzir. É uma experiência maravilhosa”, contou a professora.

 

Com a ação coletiva, cerca de 2 mil máscaras já foram produzidas com materiais simples: TNT e elástico. Os EPIs (Equipamento de Proteção Individual) já chegaram aos servidores municipais de diversos setores como Parque de Máquinas, GuaraTran, Estar, Surg e à população em geral, com distribuição na entrada da Prefeitura. “Pretendemos continuar conforme a necessidade, pois entendemos que esta é uma situação atípica. Queremos ajudar de alguma forma a enfrentar este momento”, ressaltou a diretora.

 

Segundo o Ministério da Saúde, a utilização correta de máscaras caseiras impedem a disseminação de gotículas expelidas do nariz ou da boca do usuário no ambiente, garantindo uma barreira física que minimiza as possibilidades de propagação do vírus. Seu uso deve estar aliado à outras medidas como a higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%. Também é recomendado o distanciamento social e a etiqueta respiratória.