Notícias

Dia Mundial da Alimentação: Conselho Municipal atua para garantir a segurança alimentar e nutricional dos guarapuavanos

16/10/2021

Neste dia 16 de outubro é comemorado o “Dia Mundial da Alimentação”, a data lembra a criação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), presente no Brasil desde 1949, apenas quatro anos após a criação da Organização. E para marcar este dia, o Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (COMSEA) desenvolveu um material de divulgação, com informações e dicas de receitas nutritivas que pode ser acessado aqui.

 

O COMSEA atua para garantir o direito à alimentação saudável ao trazer para a sociedade ações e propostas para a área. “Queremos trazer à tona essas reflexões para pensarmos em ações e políticas públicas para melhorar a situação alimentar e nutricional da população guarapuavana”, enfatiza a presidente do conselho, Carla Daiane.

 

O órgão paritário de caráter consultivo, deliberativo e fiscalizador da política pública da área é vinculado à Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (SEMADS) e atua de forma intersetorial, com representantes do poder público, da sociedade civil e de entidades ligadas ao setor de alimentação, para garantir o bem estar humano, desde uma alimentação de qualidade até o combate à fome.

 

“A insegurança alimentar, seja ela nos seus níveis leve, moderado ou grave, e a questão da fome é de extrema importância, porque muitas crianças às vezes a melhor refeição que ela vai ter, a mais completa e adequada é aquela refeição da escola, por isso, contamos com a participação de várias secretarias”, salientou a vice-presidente do COMSEA, Paula Chuproski Saldan.

 

Desde 2020, uma das principais preocupações dos conselheiros está relacionada com os impactos da pandemia. Em Guarapuava, houve um aumento no número de pessoas inscritas em programas de Assistência Social e/ou que recebem algum tipo de benefício eventual, como cestas básicas que são entregues nas unidades do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS).Um levantamento da SEMADS mostra que, somente de janeiro a agosto deste ano, foram entregues mais de 4.700 cestas básicas.

 

De acordo com a diretora técnica do Sistema Único de Assistência Social, Elenita Lodi, a pandemia, além de agravos de saúde, trouxe o aumento da demanda de famílias em insegurança alimentar que buscam a política de assistência social.

 

“Estamos realizando um trabalho técnico e pautado nas normativas e diretrizes, sempre procurando garantir o acesso ao direito básico à alimentação com qualidade e agilidade, mudamos alguns protocolos para priorizar e oportunizar um melhor atendimento aos usuários”, conta.