Notícias

Com serviço pioneiro na América Latina, telemedicina já atendeu quase 8 mil pessoas em Guarapuava

03/07/2020

O 0800 especializado em atendimento à Covid-19, foi criado pela Prefeitura de Guarapuava como uma ferramenta para prestar atendimento rápido e com minimização de riscos à população. O serviço, que já completou três meses de funcionamento, atendeu 7.753 guarapuavanos, sendo que 300 deles estão sendo monitorados.

 

A estudante Isabela Nunes teve alguns sintomas da doença e ligou no 0800 para tirar dúvidas. Com a equipe de atendimento, ela recebeu orientações sobre como devia prosseguir. “Tive alguns sintomas suspeitos da Covid, então liguei para entender como deveria agir. O atendimento foi bem rápido, eles foram bastante atenciosos e explicaram todas as minhas dúvidas. Isso evitou que eu fosse em uma UBS diretamente, me expondo e expondo outras pessoas”, avaliou Isabela.

 

Além de prestar atendimento à população orientando os casos suspeitos, o 0800 monitora casos confirmados da Covid-19 com o atendimento pela telemedicina, sendo  Guarapuava uma das cidades pioneiras na oferta desse serviço na América Latina. “Neste momento de pandemia, a telemedicina tem funcionado como uma tentativa de manter as pessoas em casa, evitando que elas procurem pessoalmente o serviço de saúde, podendo pegar ou transmitir o vírus”, explicou o médico clínico, Hiagor Silva. A solicitação do serviço ocorre pelo atendimento do 0800 642 0019. Inicialmente, os atendentes fazem uma triagem, e conforme a necessidade do paciente, enviam um link que encaminha o paciente direto para o vídeo atendimento com o médico que está disponível no momento.

 

Graziele Schumanski é uma das pacientes que está sendo monitorada pela telemedicina. “O monitoramento é feito diariamente, me perguntam como estou, se apresento sintomas, em caso de dúvidas eles me orientam, questionam como estão pessoas próximas com quem tenho contato. O medo é muito grande, por isso, contar com o apoio de profissionais que estão sempre prontos para ajudar é essencial”, contou a paciente.