Notícias

Aos 100 dias, mais de 30% dos pacientes com Covid-19 estão recuperados

06/07/2020

Nesta segunda-feira (06), Guarapuava completa 100 dias desde a confirmação do primeiro caso de Covid-19, registrado em 26 de março. As medidas de prevenção e desaceleração do avanço do novo coronavírus adotadas no município desde então mantém a cidade entre aquelas que têm coeficiente mais baixos de incidência de transmissão da Covid-19 no Estado.

 

Neste período, a Comissão Médica Especializada em Orientação e Recomendação de Medidas de Enfrentamento a Pandemia trabalha na análise de dados e monitoramento do cenário para traçar estratégias preventivas de enfrentamento local, como a definição do estágio de alerta epidemiológico, por exemplo. Entre as informações levantadas e analisadas diariamente pela equipe está a faixa etária dos pacientes confirmados, sexo, região da cidade que residem, além do monitoramento diário da taxa de ocupação dos leitos de UTI do SUS na cidade.

 

DADOS LOCAIS

 

Hoje, Guarapuava ultrapassou a marca dos 240 casos confirmados de Covid-19 e a estratificação dos dados permite o conhecimento mais claro sobre o público contaminado na cidade. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, dos 245 pacientes confirmados com o novo coronavírus até esta segunda (06), 43% deles têm entre 40 e 59 anos. A maior incidência está entre o público de 40 e 49 anos, que representa 22% do total de casos confirmados no município.

 

Entre os pacientes confirmados em Guarapuava, 58% são mulheres. Com relação a taxa de ocupação dos leitos, Guarapuava atingiu hoje a maior incidência dos últimos 30 dias, com 80%. Outro apontamento feito com base nos dados municipais, indica o número de casos confirmados por bairros. Neste momento, os bairros Boqueirão, dos Estados, Vila Carli e Centro estão na ponta da tabela, com mais de 15 casos em cada um deles.

 

(Fonte: Secretaria de Saúde)

 

Nestes 100 dias, a população guarapuavana também comemorou a recuperação de diversos pacientes. Dos 245 casos ativos, 82 deles estão recuperados, ou seja, 33%  já estão curados da Covid.

 

Dados desta segunda-feira (06) (Fonte: Secretaria de Saúde)

 

“Os números são nosso amparo para decisões baseadas no bom senso, no equilíbrio e no bem-estar da população como um todo. Até o momento, esse diálogo constante, a tranquilidade e firmeza nas medidas, têm nos mantido entre uma das cidades com melhor desempenho no Paraná e assim queremos seguir, unindo a força do poder público com a população guarapuavana”, avaliou o prefeito Cesar Silvestri Filho.

 

MEDIDAS DE CONTROLE

 

Em 17 de março, a Prefeitura publicou o primeiro decreto com recomendações e medidas para enfrentamento à pandemia que com o passar dos meses, têm oscilado entre flexibilizações e aumento das restrições, conforme o movimento da curva de contágio. Prevendo um avanço exponencial nos indicadores da doença na cidade pelo período estabelecido como estágio de alerta epidemiológico, em 17 de junho, quando Guarapuava contabiliza 85 casos confirmados, a Prefeitura publicou o decreto municipal nº 8022 e a lei complementar nº123, que estabeleceram punições rigorosas para donos de estabelecimentos e população em geral que desrespeitem as determinações locais nesse período crítico que segue, minimamente, até 13 de julho.

 

Agentes de fiscalização Covid (Foto: Arquivo Secom)

 

Desde então, os agentes têm intensificado as fiscalizações pela cidade, averiguando as denúncias com o apoio da Polícia Militar, autuando os responsáveis e interditando os locais quando necessário. A Ouvidoria Municipal também ampliou o atendimento e mantém plantão nos fins de semana para recebimento de denúncias.

 

Pacientes monitorados são testados pela Secretaria de Saúde (Foto: Arquivo Secom)

 

Após o início do período de alerta epidemiológico, em 17 de junho, Guarapuava teve a confirmação de 151 novos casos. “Alguns fatores contribuem para essa crescente, como a proximidade com o período que consideramos ser de pico no Estado, além da ampliação em nossa testagem. Estamos testando quase que diariamente todos os casos monitorados e, como consequência, a medida que os resultados chegam, os números aumentam. Esse aumento já era previsto e, por isso, nos antecipamos estabelecendo as medidas mais rigorosas que, se tiverem apoio e adesão popular massiva, contribuirão para estabilizarmos nossa curva de incidência local”, afirmou o secretário de Saúde, Jonilson Pires.